podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
03 de Fevereiro de 2008

“O tempo passa e nem dou por isso...”
Estamos cada vez mais enterrados nesta frase. E continuamos à espera que seja o tempo a transforma-la. Incrível como depositamos no tempo as esperanças de tudo. Esperamos que o tempo resolva uma velha crise nossa. Esperamos que o tempo resolva uma doença, um problema, ou mesmo que o tempo nos devolva a adolescência. Temos no tempo um inimigo ou mesmo um amigo. Mas o tempo tem um sinônimo muito próprio: vida.
Estamos num pais onde discutimos as aventuras e desventuras de um sistema político corrupto, que ultraja todos os dias a inteligência dos portugueses... mas nada fazemos, limitamo-nos a esperar que o tempo o faça.
Estamos num mundo onde os mais ricos vão desfavorecendo os mais pobres e enterrando-os na cova da agonia, da fome, da pobreza extrema... mas pode ser que o tempo resolva.
Estamos num planeta que morre todos os dias, vitima de um sistema implantado pelo egoísmo altruísta do Homem, de todos nós...mas o tempo vai passar e isso já não será para o nosso tempo.
Estamos numa sociedade de diferenças culturais, humanas, raciais, onde se desenvolvem obstáculos aos que precisam, onde se separam cores, onde se multiplicam ódios...mas o tempo é assim mesmo, é o progresso das sociedades.
Estamos num paradigma da evolução, onde o Homem deseja ultrapassar a própria vida, criando múltiplas maneiras de ele próprio se tornar dono do ciclo da vida, passando a ser o ciclo do Homem...mas o tempo o dirá se assim será.
Estamos numa constante torneira de medo, onde a cada esquina um membro de uma qualquer organização de terror humano pode parar o tempo de nós mesmos...mas o isto é o resultado dos nossos tempos.
O tempo.
É estranho, confesso, que possamos entregar-nos desta forma tão passiva ao mais belo, ostensivo bem que detemos...o tempo. E não o aproveitando, não o conhecendo, não o transformando num tempo melhor, não vivemos, apenas somos objectos telecomandados de um mundo cada vez mais desenhado em torno do material e não do humano, do que verdadeiramente é o tempo: o sensorial.
Somos animais, somos parte de um sistema perfeitamente organizado, uma parafernália de ciclos de vida que se multiplicam pelas ruas desse tempo, que vive desde os tempos da criação, do Big-Bamg que deu a oportunidade de sermos o que somos hoje...e foi o tempo sim, mas de uma forma activa.
Tentem viver todos os dias como um dia novo, fazendo pelo menos uma coisa nova, proporcionar um momento novo, realizar um sonho novo. Façam-no pelo bem de todos, pois esse será o vosso bem e não se escravizem nas desculpas do tempo, pois ele passa e não volta atrás, pois o tempo é isso mesmo , o casamento entre duas partes, o passado e o presente, que desenvolvem o seu filho, o futuro.


Volto já. Sentimento.

“Não faças planos para a vida para não atrapalhares os planos que a vida tem para ti.”
Agostinho da Silva.
publicado por opoderdapalavra às 23:58
Gosto desse casamento. Conheço-o bem. Conheces-o bem. Nosso passado, e nosso presente, fez o Hoje futuro...
Hoje e sempre...
RA
Lica Loi a 7 de Fevereiro de 2008 às 12:02
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
Excelente!!Sinto-me representado.Sim, sou eu: o po...
O discurso é apelativo aos mais nobres sentimentos...
blogs SAPO