podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
30 de Setembro de 2009

 

Foto: Nuno Chacoto.

 


perdido no vento

 

sou apenas uma pena que roça o horizonte

 

o pó que se perde no ar

 

o som que ecoa no labirinto do tempo

 

estou sem pensamentos

 

vendi-os na feira do nada

 

onde a ausência é a peste que suga o sangue

 

onde os sonhos estão escondidos

 

sombras que desaparecem no vazio

 

estou perdido no vento

 

essa brisa que levou-me o corpo

 

essa corrente que desfez este coração vadio

 

sem encontrar o meu ser, adormeço

 

na negrume sensação de nunca mais voltar

 

e partir no vento, que me leva até onde ele parar.




 

publicado por opoderdapalavra às 22:06

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
22
23
25
26
27
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
José Hermano Saraiva costumava dizer que a pátria ...
Ao ler esse texto senti orgulho no peito, o mesmo ...
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
blogs SAPO