podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
08 de Novembro de 2011

 

 

 

não me acordes
deixa-me estar na sonolência do mundo
quero dormir sem pensar
sem ter que mesmo sonhar
navegando apenas
pelas ondas que o mar trouxer
esse que nos leva pela leveza da noite
onde posso ser o marinheiro que não fui
comandante do navio sem rede
onde baloiço na cauda da vela
e vejo o horizonte chegar
como se um belo nascer se tratasse
e ali aponto o simples olhar
de um homem que vem nu
despido do mal que lhe pintaram
e da raiz de sangue que lhe regaram
ali ele pode ser simplesmente marujo
deste oceano onde podemos navegar em paz
sem as asas que doem a cada bala que passa
sem o corpo ferido pelas palavras que rasgam
sem a ideia morta antes de ser pensada
deixa-me dormir
porque aqui sou apenas homem
esse pobre que tem nome
essa peça que tem lugar
essa história que tem um caminho a andar.

publicado por opoderdapalavra às 22:04
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
José Hermano Saraiva costumava dizer que a pátria ...
Ao ler esse texto senti orgulho no peito, o mesmo ...
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
blogs SAPO