podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
26 de Dezembro de 2015

 

Tenho um sonho guardado.

Uma espécie de história que um dia escrevi,

sem sequer reparar nas palavras que redigi.

Dobrei folhas sem contar,

de imaginações,

viagens sem pregas ou dragões,

ou filmes de encantar.

Voei como pássaro sem asas,

em fogo aberto pelo céu coberto,

de esperanças sem destino,

ou marés despidas de caminho.

Andei como uma formiga,

palmilhando cantos num mundo,

sem o pranto de uma casa ou o fel de um coração.

Nadei como peixe sem guelras,

percorrendo todos os oceanos,

em busca de uma corrente,

daquelas que nos levam para onde o tempo acaba.

Lugar onde tudo começa.

Firmamento ao amanhecer.

Aquela bolha de ar,

forma que persiste

de conseguir sonhar.

Respirar.

E andar.

E tenho esse sonho,

algures

onde a memoria se esconde

e a lembrança adormece.

Vou busca-lo,

desenterra-lo sem olhar para trás,

sem notar,

que pelo corredor que me espanta a idade,

percorro toda a ilusão de um nome,

que dei ao sonho da minha infinidade.

 

 

publicado por opoderdapalavra às 23:00
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
23
24
25
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
Excelente!!Sinto-me representado.Sim, sou eu: o po...
O discurso é apelativo aos mais nobres sentimentos...
blogs SAPO