podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
16 de Janeiro de 2014

 

 

 

 

(...) O escritor tem de deixar escorregar a sua caneta, gastar a sua imaginação e deixar-se ficar à parte da história. Um escritor não pode ser parte da história. Cada história tem a sua própria personalidade, autónoma e livre. Escrever é um acto de fecundação. É uma folha que nos deseja. É o tempo em que o corpo imaginativo do autor se desfaz no sexo daquela folha, nua, muitas vezes virgem ainda. É aí que o escritor a penetra com suavidade ou com a astucia, até ferozmente, sem nenhuma educação ou até, muitas vezes, com muito respeito. Depois de a semente ser colocada, vem o período de gestação, o montar do corpo da história, que se vai transformando de pequena célula num conjunto de membros, de braços, pernas, olhos que vêem, boca que fala, ouvidos que ouvem, cheiros que se alastram. E acontece o parto. Nesse preciso momento, o escritor deixou de ser, de existir. A história continua. Parte, e o escritor, cortejando a janela da sala onde a escreveu, olha o horizonte, melancolicamente. Fecha os olhos, recosta-se no silêncio e adormece, descansando. A história toma o rumo de um filho acabado de ser criado. Ela agora é do leitor. Escrever é uma aventura de criação, educação de um filho, e depois deixá-lo ir, para ser enamorado por todos aqueles que se apaixonarem pela história. 

publicado por opoderdapalavra às 22:54
Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
Excelente!!Sinto-me representado.Sim, sou eu: o po...
O discurso é apelativo aos mais nobres sentimentos...
blogs SAPO