podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
07 de Novembro de 2013

 

 

 

 

Estou parado.

Parar pode significar uma quietude solitária. Fica-se assim, fisicamente num sitio qualquer, à espera que algo aconteça. Mas os nossos olhos reparam que o físico dos outros não acompanha a nossa paragem.

Tudo se move com a velocidade, e tudo desaparece numa veloz sensação de nunca ter acontecido. São estranhos estes sabores que tornam o paladar do tempo meio agridoce. Agreste de não se saber viver, doce de se sonhar ter vivido.

E tudo se pensa enquanto se está parado.

Não se sente o movimento nato do corpo. Sente-se apenas o resfriar de um andamento, como um freio de comboio que para na estação seguinte. Descem passageiros em forma de pensamentos que de tanto nos aterrorizarem, nos despedimos deles sem uma lágrima. E deixamos que entrem novos passageiros, pensamentos que entram no gratuito instante de simplesmente se viver.

Os olhos, sempre eles a controlarem o perímetro, abrem-se e fecham-se com força, piscando sinais de partida.

E tenho de partir. Não se pode ficar para sempre parado. O que seria da gente se afinal o mundo físico, todo ele, parasse? Já nos basta paramos o mundo emocional. 

publicado por opoderdapalavra às 22:27
Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
Excelente!!Sinto-me representado.Sim, sou eu: o po...
O discurso é apelativo aos mais nobres sentimentos...
blogs SAPO