podes pensar, podes falar, mas tudo o que escrevas tem o poder de ficar.
17 de Julho de 2009

 Meus caros amigos e visitantes deste blog,

Venho dizer o meu sincero Obrigado pela  vossa assiduidade e companhia, e informar que estarei ausente por uns dias, de Férias... sim, também existem férias nos blogs.

Fiquem bem e até breve.

Forte abraço.

publicado por opoderdapalavra às 19:06
03 de Julho de 2009

FIO DO HORIZONTE, LUGAR ONDE O CÉU E A TERRA SE ABRAÇAM.

 

EXISTEM MOMENTOS EM QUE O SILENCIO SE TORNA OBRIGATÓRIO... VEJAM E GOZEM!

 

LOCAL: S. PEDRO MOEL.

 

 

 

 

Deixa-me voar

não cortes o sonho onde as asas adormecem os sentidos

não deixes que eu saia deste céu

onde sinto a liberdade, o fogo de voar pelo infinito

deixa-me pensar que sou parte deste local

lugar onde a imaginação se torna uma realidade altiva

quero ficar aqui onde posso voar mesmo sabendo que não tenho asas.

publicado por opoderdapalavra às 23:52

 

 

Hoje deu-se um episodio perfeitamente lamentável na Assembleia da Republica. Um ministro, António Pinho, fez um gesto inadmissível para um deputado do PCP.

Eu vivo no pais mais antigo da Europa e um dos mais antigos da História do Homem. Sempre que um Governo é formado, sempre que um deputado é eleito, sempre que um Presidente da República ou da Assembleia faz um juramento, sempre que um militar luta no campo de batalha, sempre que um medico vê um doente num hospital, sempre que um cantoneiro limpa a beira da estrada, sempre que um Juiz toma uma decisão sobre um qualquer caso no tribunal, sempre que um policia prende um criminoso, sempre que um guarda prisional chama à atenção um presidiário, sempre que um professor abre o livro para a aula se iniciar, sempre que um Embaixador leva mais longe o nome de Portugal, sempre que um atleta veste uma camisola com as 5 quinas, sempre que um Presidente de câmara toma uma decisão, sempre que um presidente de uma empresa publica pensa num projecto, sempre que o Governador do Banco de Portugal recebe o recibo de Vencimento... eles tem Sempre uma Responsabilidade: O de serem Portugueses, Povo Historicamente Rico e cheio de conquistas, desaires, derrotas, Vitórias, Descobertas. A Responsabilidade de darem continuidade a uma história sonhada por um Povo, Séculos atrás.

Mas, e parece que neste pais o Mas teima em se tornar um vírus, muitos dos que referi atrás não querem saber dessa responsabilidade, e falo em especial dos Políticos. Quem são esses “animais” filosoficamente vazios num rol de adjectivações, persistentes em discursos populistas e sem a coragem da verdade e muito menos com a seriedade da responsabilidade de serem Portugueses. Somos um pais feito por grandes momentos, tivemos enormes derrotas, mas acreditamos sempre... até ao dia em que a Historia tinha a pior das lições para nós: A Republica! No próximo ano vamos fazer 100 anos de Republica, e são os piores 100 anos da nossa História, os mais pobres nas ideias, os mais pobres nas ambições, os mais pobres nos governantes, os mais pobres na riqueza das letras, das artes, do fascínio dos iluminados... poderão falar de pessoas que nestes 100 anos levaram o nome de Portugal mais longe, mas não foi pelo estimulo deste nosso povo ou mesmo pela vontade dos governantes, foi porque acreditaram como acreditou o Infante, o D.João II, o Vasco da Gama, o Camões... e como sonhadores que são, lançaram-se, SOZINHOS, numa demanda conquistadora e só quando conseguiram serem reconhecidos fora de portas, é que veio então uma nação dita PORTUGAL dizer, eles são portugueses... Saramago, Manoel de Oliveira, Paula Rego, Luís Miguel Rocha, M.João Pires, Nelson Évora, Amália, Manuel Damásio... e todos aqueles anónimos que para serem mais fortes, conseguirem ir mais longe, tiveram de sair de Portugal, pois neste pais apenas os que pertencem aos núcleos é que conseguem ser alguém... se é que esse tipo de alguém importa... e mais, o mais patético ainda, os que conseguem, orientados pelos seus sonhos, vencer dentro desta casa e levarem o nome de Portugal mais longe, ou são acusados de corrupção ou são esquecidos no meio das longas páginas dos jornais, pois os bons exemplos não vendem neste nosso jornalismo barato, mesquinho, hipócrita, sem sentido, e com enorme falta de respeito para quem sonha, para quem pensa que pode conseguir atingir o topo da montanha, mostrando que a força da vontade pode ser mais forte que o peso da derrota.

Mas, cá está ele outra vez, tudo isto é o reflexo destes 100 anos de historia. Políticos que prometem desenfreadamente tudo, mas que passam o tempo todo a fazerem o quê?:

- Os que Governam são sempre os melhores, os que conseguiram tudo, os que mudaram tudo, os que puseram em pratica tudo, os que sempre valorizaram tudo, os que foram amigos de todos....

- Os que estão na oposição, levam a palavra ao expoente máximo, são oposição de tudo, pois vale tudo para criticar tudo. São os que discordam do que se faz, os que falam e dizem sempre a mesma coisa mas nunca apresentam as soluções, os que acham que está sempre tudo errado, e que estão sempre com a inveja do poder...

A política em Portugal está vazia, aliás foi sempre vazia nestes últimos 100 anos. Um grande amigo meu, o Luís Miguel Rocha, escreveu um livro magnífico “A Virgem”, que fala de um Portugal moribundo nos anos 30 do passado século, um pais perdido nos jogos do poder, da corrupção, na submissão dos fracos aos mais poderosos, da falta de escrúpulos em atingir as metas... uma Portugal em 1930... que continua a ser o Portugal de hoje. Como podemos nós evoluir? As pessoas estão vazias de ideias, gostam é das historias do Cristiano Ronaldo, da Lili Canecas, das historias alheias de escárnio e mal dizer ( Ó Gil Vicente se vivesses nos dias de hoje tinhas muito para escrever), da futilidade das imagens, somos presos aos fantasmas do passado ( as colónias, a ditadura...), temos medo de assumirmos quem somos e o que somos, e somos presos de pequenos grupos que nos controlam a mente : Jornalistas, críticos ( literatura, cinema, ideólogos baratos e fúteis, etc), políticos, dirigentes, gestores...

Em Portugal a liderança é o sinonimo do Poder, Eu quero, Eu posso, Eu mando... e tu fazes. Em Portugal, pais dos doutores e engenheiros, o titulo é símbolo de poder.

A liderança que o Infante teve, em fazer acreditar que através de uma Nau, feita de madeira, se podia chegar mais longe, e isto sem se saber o que realmente seria o mais longe.... será que o Infante era mesmo Português?

Meus caros, falo disto tudo, com muita mágoa, porque eu adoro o meu Pais. Eu gosto de saber que pertenço a uma nação de Grande riqueza Histórica, com algumas pessoas actualmente que me fazem acreditar que é possível, com uma língua tão bela quanto a mais bela poesia ( e que estamos a destruir e a hipotecar), com a força de alguns que levam mais longe o nome do nosso pais... eu amo Portugal, mas amo o Portugal do povo, aquele que mesmo sendo cada vez menos, não descrimina o outro, aproxima-se dele e juntos ficam mais fortes; eu amo o Portugal que não semeia e alimenta os grupos das elites, mas sim o que fomenta e defende um Portugal para todos mesmo, onde todos tem uma participação e uma importância fundamental; eu amo um Portugal que não tem medos do passado, mas sim acredita no presente e perspectiva positivamente o futuro; eu amo um Portugal onde as pessoas se respeitam, onde debatem as ideias com coerências, com fundamentos; eu amo um Portugal justo para todos, onde a Justiça é célere mas também é mão pesada e responsável para quem prevarica, para quem não respeita, para quem mata, para quem rouba, para quem engana, quem quer que seja ( mesmo que seja Deus); eu amo um Portugal verdadeiramente livre, não esta ditadura disfarçada de políticos baratos, arruaceiros, vergonhosamente irresponsáveis, brutalmente vazios, ocos.

Precisamos de mais bons Portugueses, aqueles que acreditam que podemos ser o que realmente somos : Portugueses!

Utópico? Pois que seja, mas acreditem, ninguém me tirará o sonho de ser o que sou: Português. O que não sou, eu sei, não sou deste Pais que não é Sério! Eu sou do Portugal da História, do Portugal do Condado Portucalense!

E sou do Portugal em que o Povo, como na Verdadeira democracia o é, é que detêm o Poder... como o disse o meu amigo Luís Miguel Rocha.

Pensem Positivo.

 

 

 

 

 

publicado por opoderdapalavra às 00:24
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
Posts mais comentados
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Encontrei o texto hoje...Uma pequena correcção, as...
Obrigado Isabel. Concordo consigo, os Amigos apena...
Carlos, bonita homenagem a um amigo. Que o Luís re...
O que mais me chama a atenção, neste...
A tua escrita acompanha o teu espírito. Amadurece ...
Grata, sorrisos :o)
Quente.Arrebatador.
Leitura muito agradável :)Convido a leitura do meu...
Excelente!!Sinto-me representado.Sim, sou eu: o po...
O discurso é apelativo aos mais nobres sentimentos...
blogs SAPO